sábado, 29 de junho de 2013

Isto é desconsiderar os cidadãos da Rua de S. Vicente!



Isto é desconsiderar os cidadãos da Rua de S. Vicente! Como bem se lembram os Vicentinos aguentaram, mais uma vez, cerca de 3 meses assim:
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=187195078102080&set=p.187195078102080&type=1&theater
Depois desta situação ter sido notícia num periódico da cidade, veio a CMB com máquinas e pessoal (incluía um camião grua) fazer a substituição das pedras. O caricato da situação é que, no dia seguinte, veio um Sr.Engº da Câmara verificar o serviço e foi alertado pelos moradores que debaixo de uma chapa não tinha sido substituída a pedra - ver foto 2 (ainda estavam na rua, estaleiro, 4 pedras novas). O Engº respondeu que iria ser substituída no dia seguinte.Ora o resultado foi que ficou o serviço por fazer. Assim se desconsidera os cidadãos e o dinheiro público. A Junta de freguesia e Futuros Candidatos "assobiam" e que bem!

quinta-feira, 27 de junho de 2013

terça-feira, 25 de junho de 2013

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Uma caminhada cultural pela Braga + e Jovemcoop - ao Benemérito Júlio de Lima


No passado sábado (15.6.2013) numa iniciativa da Braga+ e JovemCoop Natureza Cultura,uma caminhada cultural-Notáveis de Braga, paramos aqui na Rua Júlio de Lima em homenagem  ao benemérito Júlio de Lima, abriu esta rua, mandou construir os edificados em frente ao se palacete (lado direito e esquerdo).


sexta-feira, 14 de junho de 2013

Uma partilha, uma historia de 1846...


Uma partilha de um SENHOR muito amigo de Braga, das suas gentes, do património e de tudo. Luís Dias Costa.
Um relato de uma mulher que morava na Rua S. Vicente (na altura Chãos de Cima):



Luís Dias Costa
UM ACHADO ENTRE A LIVRALHADA
REVOLUÇÃO DO MINHO DE 1846 - MARIA DA FONTE 
DO PADRE CASIMIRO.

um naco da sua prosa:
"Correu em Braga, antes de eu sahir para as férias da Paschoa, que andando um Regedor pelas portas a perguntar pelo teres de cada família, para os escrever nas bilhetas, e que perguntando elle a uma pobre de edade madura, entre os 50 e 60 annos, alta trigueira e forte (que conheci , e morava nos Chãos de Cima, perto da Capella de S. Vicente, e servia optimamente para uma MARIA DA FONTE), PELOS TERES QUE ELLA POSSUÍA, para os escrever, ella dissera - espere que eu volto já -Que entrando em seguida dentro de casa, pegara numa coberta, feita de farrapos velhos, cosidos uns nos outros, em um pequeno púcaro, e no fundo de uma velha panela velha quebrada,e, trazendo tudo para a rua, lhe dissera, apontando para estes
móveis preciosos - isto é a manta com que me cubro na cama, ou antes um ninho de palha em que durmo, isto é o púcaro em que faço o caldo, para entreter este corpo mais algum dia, e consolar-me com este liberdade, que cá nos trouxeram, sem nós a pedirmos, e isto é o penico de que me sirvo de noite, para não sujar a casa, leve tudo, para lhe poupar o trabalho de tornar aqui mais vezes , e para mim poupar o aborrecimento de o aturar mais, e para ficarmos daqui arrumados. Não era porém preciso uma explicação tão clara porque pelo menos elle podia muito bem conhecer, mesmo de longe a serventia pelo menos do caco pelo cheiro que decerto não havia de ser muito agradável. Tal era já então o bom conceito, que fazia esta santa gente, por quem temos tido a fortuna de ser governados."NADA DE CONUSÕES, ISTO NÃO
É DE 2013, PASSOU-SE EM 1846! ! ! .. .

terça-feira, 11 de junho de 2013

segunda-feira, 10 de junho de 2013

domingo, 9 de junho de 2013